Blog Observatório Feminino-Anfitriã do Cine PE comenta homenagem do festival a José Wilker

Por Estevão Soares em 28-04-2014   

Leia no blog

O Cine PE chegou a sua maioridade em grande estilo. A 18ª edição do festival, iniciada no último sábado, 26, escolheu a  internacionalização como principal nova aposta. Não à toa, o filme norte-americano “Grande Hotel Budapeste”, de Wes Anderson, foi selecionado para  a abertura do evento. A maratona segue até dia 06 de maio, com 25 títulos, sendo 13 curtas e 14 longas.  

Um dos pontos mais esperados do Cine PE 2014 é a justa homenagem ao ator José Wilker, que morreu no dia 05 deste mês. A deferência ao cearense e à atriz Laura Cardoso já estava programada pelos organizadores do evento, que contavam com a presença da dupla no encerramento da festa. Para Sandra Bertini, anfitriã e uma das diretoras do Cine PE, a láurea, mesmo póstuma, seguirá mais que merecida.

“A homenagem foi pensada porque acreditamos que Wilker foi uma pessoa que contribuiu muito para o cinema. São muitos filmes que ele fez, começou trabalhando em Pernambuco – apesar de ser de Juazeiro – Realizou muito cinema, inclusive perambulando pelo interior do estado pernambucano, alcançou o seu lugar de destaque por luta própria, profissionalismo e competência como ator e roteirista. Então, para o audiovisual em geral a perda é muito grande. Mas lá de cima, eu tenho certeza que ele está feliz com essa homenagem póstuma”, explicou a produtora cultural ao OF.

Ainda falando sobre as particularidades e momentos esperados desta edição, Bertini também comentou o novo intercâmbio cultural proposto pelo festival: “Tudo o que agente cria, modifica e aprimora, nos desperta uma expectativa de boa aceitação. Nesse caso específico, a aceitação do público. Essa é a minha grande expectativa. O cinema é uma linguagem universal e nós, a partir de agora, contando com pessoas de fora apresentando seus filmes, poderemos ajudar nesse intercâmbio. Os jovens poderão conhecer os produtores de fora, discutir cinema e entender melhor como os filmes foram realizados. O Cine PE chegou a maioridade, teve uma transformação física e de pensamento. Ele está mais grandioso, com o pensamento mais alargado”.

(Sandra Bertini, nome forte a frente do festival) Foto:Valter Andrade

 Para estreantes como Cláudio Torres Gonzaga, redator da Rede Globo – atualmente responsável pelo roteiro de “A grande família” – o primeiro sentimento que essa nova cara do festival desperta, é ansiedade: “Estou como jurado e muito animado para conhecer o evento, então, por enquanto, minhas impressões são apenas como um visitante. A expectativa é grande, estou achando o movimento incrível, um encontro bacana, onde tenho conhecido pessoas interessantes”.

(Cláudio Torres,  em noite de cinema) Foto:Estevão Soares

Apesar da internacionalização que marca o Cine PE 2014, foi Recife que se destacou no primeiro fim de semana do evento. O curta Severo, de Danilo Baracho, filmado na capital pernambuca, mais precisamente na comunidade do Coque, traduziu bem as raízes do festival. “O projeto pode  tornar-se futuramente social. Gravamos por seis dias dentro da comunidade e o trabalho já foi selecionado para rodar em alguns outros festivais, como o ‘Cannes Short Film Corner’, que acontece ainda esse ano. A estreia, porém, em sistema ‘world première’, foi no Cine PE. Para mim, que sou de Recife, é realmente uma emoção poder estar junto aos meus familiares e amigos aqui”, resumiu Danilo.