Cine PE homenageia o mestre Fernando Spencer

Patrimônio vivo da cultura pernambucana, numa das mais meritórias honrarias públicas,  o cineasta Fernando Spencer passou definitivamente para a História do cinema em PE. Uma trajetória de vida exemplar, como cidadão e como profissional engajado e comprometido com o fortalecimento da sétima arte. Sem dúvida, mais um caso de amor eternizado, quando o ser e a arte se misturam. Tornam-se uma única essência.  O Cine PE, que o homenageou por duas vezes, compartilha com os familiares e a classe cinematográfica tão marcante sentimento de perda. Que a obra de Spencer seja como ele: inesquecível. Por Sandra e Alfredo Bertini, diretores do Cine PE-Festival do Audiovisual.

O cineasta pernambucano, pesquisador e jornalista Fernando Spencer faleceu hoje, segunda-feira (17), aos 87 anos, vítima de câncer de pulmão, após seis anos de luta contra a doença.

Na década de 70,  Spencer foi um dos cineastas mais atuantes do Super 8. Ele também filmou em películas 16mm e 35mm. Experimentou ainda fitas de vídeo e até câmeras digitais nos trabalhos mais recentes.

Dirigiu mais de 30 filmes. Entre suas produções, estão Bajado – um artista de Olinda (1975), Estrelas de celulóide (1987) e O último bolero no Recife (1987). Como jornalista atuou por mais de 40 anos como crítico de cinema e dirigiu por 20 anos a cinemateca da Fundação Joaquim Nabuco.

No ano passado, durante o Cine PE, o mestre Spencer recebeu a homenagem do festival pelos 90 anos do cinema pernambucano. Relembre:  http://www.youtube.com/watch?v=JLyhRnE7YKo

* Foto: Cine PE/Daniela Nader