Diario de Pernambuco (Web)-Doc sobre Corbiniano

Júlio Cavani – Diario de Pernambuco

Leia no site

Cineasta Cezar Maia retratou trabalho de Corbiniano, seus amigos e processo criativo. Foto: Cine PE/Divulgação
As obras de um dos maiores artistas de Pernambuco tornam-se ainda mais grandiosas na tela do cinema com o documentário Corbiniano, do cineasta Cezar Maia, que encerra a noite desta segunda-feira no festival Cine PE. O filme aborda a obra de Corbiniano Lins (atualmente com 90 anos de idade) de forma bastante heterogênea, com basicamente quatro eixos: o retrato cinematográfico de suas esculturas e gravuras; conversas com o próprio artista seus amigos geniais; um registro de seu processo de trabalho atual; e a filmagem de uma ação clandestina no estilo Caçadores de obras-primas (um grupo de anônimos apreciadores resolve sequestrar um escultura abandonada em espaço público). São belas as imagens, por exemplo, de seus monumentos, como a estátua em homenagem aos vaqueiros localizada no Aeroporto de Fortaleza, filmada com uma sugestão de monumento.

Confira a cobertura completa do evento

Nas cenas do ateliê, muitos espectadores devem ficar surpresos ao descobrir que suas peças são esculpidas em isopor antes de serem fundidas em alumínio. Nos depoimentos, o trecho mais crítico é uma discussão sobre a presença marcante de mulheres nuas em sua obra (alguém questiona o machismo ou feminismo presente nesse tema). Gilvan Samico (1928-2013), Abelardo da Hora, Tereza Costa Rego, José Cláudio, João Câmara, Raul Córdula e Wilton de Souza estão entre os mestres que compartilham suas opiniões e impressões sobre sua arte.

 

Destaques

Português premiado

Um dos filmes portugueses mais premiados dos últimos anos é exibido nesta segunda no Cine PE. O documentário E agora? Lembra-me, de Joaquim Pinto, oferece uma discussão poética sobre a a vida dos portadores de hepatite e AIDS. Segundo a sinopse oficial, é “uma reflexão aberta e eclética sobre o tempo e a memória, as epidemias e a globalização, a sobrevivência para além do expectável, a dissensão e o amor absoluto”.

Horários das projeções

Antes de sair de casa, o público do festival precisa estar atento à duração de cada filme da programação. O documentário português E agora? Lembra-me, por exemplo, tem 2h44 de duração. Como a sessão está marcada para as 19h e há um curta antes, esse filme deve começar por volta das 19h30 (se não houver atraso) e terminar às 22h. A projeção de Corbiniano, portanto, pode começar perto das 22h30 e terminar por volta de meia-noite.

Do amor à tragédia

Tubarão, um dos curtas-metragens pernambucanos mais premiados da temporada 2013-2014, é apresentado nesta segunda no Teatro Guararapes. O filme de Leo Tabosa, que ganhou prêmios em festivais como o Festcine e o Recifest, conta a história de um norte-americano que se mudou para o Recife para viver um grande amor, mas foi surpreendido por uma tragédia. Os ataques de tubarões não são o tema principal, mas possuem um papel-chave no curta.