Apesar do feriado de 7 de setembro e da chuva, a quarta noite de exibição do 27º Cine PE ainda foi sucesso de público, sempre ávido pela produção audiovisual brasileira. No cinema do Teatro do Parque, o festival exibiu sete curtas e um longa-metragem, entre obras de ficção e documentários, que fazem parte das Mostras Competitivas deste ano. As produções da noite celebraram a cultura de diferentes povos — a exemplo de “Coração da Mata”, de Camila Martins, que acompanha o dia a dia de três mulheres que fazem parte do único maracatu rural 100% feminino, no município de Nazaré da Mata.

“Obrigada ao Cine PE pela oportunidade de exibir ‘Céu’. Nosso curta-metragem homenageia as louceiras e quilombolas de Santa Luzia, mas homenageia também a cultura centenária da produção de louças de Serra Talhada, que fica no Sertão da Paraíba. É uma honra estar representando meu estado aqui no festival. Viva a luta das mulheres, das louceiras, que subsistem do trabalho no interior paraibano, e que resistem, apesar de tudo”, comemorou Valtyennya Pires, diretora do documentário em curta-metragem paraibano “Céu”.

A noite culminou na exibição de “Ijó Dudu, Memórias da Dança Negra na Bahia”, primeiro documentário em longa-metragem dirigido por José Carlos Arandiba, mas conhecido como Zebrinha. O cineasta, dançarino e bailarino falou sobre a importância de um festival pernambucano ser vitrine para o país inteiro. “Eu fico muito feliz de o Nordeste poder produzir um festival desse porte. Eu sempre ouvi falar do Cine PE. Quando eu terminei o filme, Lázaro Ramos me disse ‘leva o documentário pra lá, você vai ver a emoção que vai ser’. E eu estou nessa expectativa, de um público que não só vai aplaudir, mas também vai entender o motivo desse filme ter sido construído”, comentou Zebrinha.

Reta final 

Nesta sexta-feira, o Cine PE promove o último seminário desta edição. No hotel Beach Class Convention, em Boa Viagem, a partir das 14h, o produtor e advogado Henrique Freitas media o debate “A Importância dos Direitos Autorais para a Economia do Audiovisual”, que conta também com a presença do chefe da Arrecadação de Direitos Audiovisuais da Argentores (Sociedad General de Autores de la Argentina), Marcelo Nastri, além de Victor Drummond (RJ) e Thiago Dottori (SP).

Durante a noite, no cinema do Teatro do Parque, a partir das 19h, serão exibidos os últimos filmes da Mostra Competitivas de Curtas-Metragens Nacionais: “Virtual Genesis” (DF), de Arthur B. Senra, e “Solidariedade” (SP), de Fernanda Pessoa. Já a Mostra Competitiva de Longas-Metragens chega ao fim com “Chumbo” (MT), de Severino Neto, e “Entrelinhas” (PR), de Guto Pasko.