Emoção em noite de encerramento

Apresentada pelo casal de atores Deborah Secco e Bruno Torres, que também é cineasta, a cerimônia de encerramento do Cine PE, ontem (2) à noite, no Teatro Santa Isabel contou com a presença de diretores, produtores e atores dos filmes concorrentes, convidados e público em geral.
A solenidade foi aberta com uma homenagem ao jornalista João Carlos Sampaio, um dos maiores críticos de cinema do Brasil, que estava cobrindo o festival e faleceu na manhã de ontem (2 de maio), aos 44 anos, vítima de um infarte fulminante. O diretor de cinema, conhecido no país pelo trabalho com trilhas de filmes, André Moraes, gravou um depoimento emocionante sobre o jornalista, que fez participação em um dos seus curtas-metragens.

A jornalista Maria do Rozário Caetano homenageou João Sampaio em nome da Associação Brasileiro de Críticos de Cinema (Abracine). “João, que ajudou a fundar a Abracine, vai ficar na memória do Cine PE e da Associação”, registrou.

A noite foi marcada pelas homenagens aos 50 anos do filme Deus e o Diabo na Terra do Sol, de Glauber Rocha, com a exibição de um vídeo produzido pelo Canal Brasil; e a José Wilker, que faleceu no último dia 5 de abril.

A láurea já estava programada desde o início do ano e a Calunga de Ouro foi entregue a Isabel Wilker e Claudia Montenegro, a filha e a companheira do ator, respectivamente, e familiares do ator que moram em Olinda. “Ele era um cara tão legal e tão bem humorado que queremos lembrá-lo com leveza”, disse Isabel Wilker, ao agradecer a homenagem e ler um texto escrito por José Wilker.

O jornalista e crítico de cinema Luiz Zanin recebeu o troféu Calunga em homenagem ao filme de Glauber Rocha. “O filme continua em cartaz até hoje e continuará sempre. É uma produção cheia de esperança, por um Brasil melhor, um Brasil onde o sertão vira mar e o mar vira sertão”, ressaltou.