Política dá o tom da segunda noite do 20º Cine PE

O segundo dia do Cine PE teve a política como tônica. Nesta terça (3), o festival, que acontece no Cinema São Luiz, trouxe o filme ‘O Prefeito’ (RJ), do diretor carioca Bruno Safati. O longa usa o humor, com frases como “política é 95% presente, 5% passado e f***-se o futuro, porque passa para outra pessoa”, para contar a história fictícia de um político que tenta transformar o Rio de Janeiro em um país independente do Brasil. O protagonista é interpretado pelo ator e roteirista Nizo Netto, filho do saudoso Chico Anysio. “Esse filme podia ter sido lançado há 20 anos atrás, ou daqui há 20 anos, e seria atual. O Brasil sempre foi caótico”, comentou. Ele contou que estreia em breve mais dois longas: ‘A Menina Índigo’, de Wagner de Assis – também responsável pelo sucesso de bilheteria ‘Nosso Lar’ – e ‘Duas de mim’, uma comédia assinada por Cininha de Paula.
 
Já os diretores do documentário ‘O Imperador da Pedra do Reino’, Houldine Nascimento e Wanderley Silva, trouxeram o protesto em seu discurso. "Num país decente, o processo de impeachment nunca poderia ser comandado por uma figura como Eduardo Cunha", afirmou Houldine. Pablo Polo, que assina o curta ‘Minha Geladeira Pensa Que É Um Freezer’, trouxe a situação dos espaços de cultura do Recife. “É importante um evento como esse aqui no Cinema São Luiz para valorizar os espaços públicos da cidade. Estamos vendo o descaso com o Teatro do Parque, o Teatro Apolo está sucateado. Isso vem transpassando várias gestões”, pontuou Pablo.
 
Também integraram a mostra o curta pernambucano ‘This is not a song of hope’, de Daniel Aragão, inédito no Brasil, lançado em janeiro no Festival de Roterdã (Holanda). Também foi projetado +1 Brasileiro, de Gustavo Moraes (ES), que inova ao trazer a história de um taxista com dificuldades financeiras em formato de drama musical. Foi a primeira exibição nacional da película. “Fiquei um pouco nervoso”, comentou Gustavo, “mas o festival é muito acolhedor, e o público é fantástico”.
 
Nesta quarta (4), às 9h, será a estreia da mostra infantil, para cerca de mil alunos da rede pública de ensino. Será exibido ‘Corda Bamba, História de Uma Menina Equilibrista’, de Eduardo Goldenstein. A partir das19h30, o festival projeta ‘Soberanos do Congo’, de Raoni Moreno; ‘Das Águas Que Passam’, de Diego Zon; e ‘Guerra do Paraguay”, de Luiz Rosemberg Filho. O evento segue até o dia 8 de maio.