Religiosidade no telão do Guararapes

Se as questões sociais e familiares marcaram a primeira noite de exibição da Mostra Pernambuco, a religiosidade foi um dos pontos mais explorados pelos competidores da Mostra Curta Brasil. No Movimento da Fé (PA), de Fernando Segtowick  e Tiago Pelaes, mostrou a grandiosidade do círio de Nazaré. A procissão, que acontece a mais de 300 anos em Belém do Pará, reúne cerca de 2 milhões de pessoas a cada ano.

O Filho Pródigo (SP), de Felipe Arrojo Poroger, e No Tiro do Bacamarte… Explode a Cultura Pernambucana (PE), de Xisto Ramos, também reproduziram, mesmo que implicitamente, o poder da fé. Participaram ainda da coletiva Luiz Rosemberg Filho, diretor de Linguagem (RJ), e Ana Johann, diretor de Notícias da Rainha (PR).