A manhã desta sexta-feira (26) foi de sabatina para os realizadores dos 14 filmes que foram exibidos na última quinta-feira (25) na programação do 25º Cine PE. Os cineastas participaram da última das coletivas de imprensa da edição, que neste ano aconteceram no Hotel Nobile Suítes, em Boa Viagem, no dia seguinte à exibição de cada filme.

Sempre enriquecedores e estimulantes, os debates foram abertos ao público e contaram também com a presença de cineastas e atores envolvidos em todas as produções que foram exibidas na grade do festival.

Entre os filmes debatidos nessa última rodada de conversas estava o documentário em curta-metragem “Janelas Daqui”, representado pelo diretor Luciano Vidigal. “É necessário que haja responsabilidade para contar as histórias da favela. É um filme sobre gente, de manifesto. Procuramos personagens que estão esquecidos, invisíveis, mas que têm muito para falar. Tenho responsabilidade como realizador. Pra onde aponto a câmera eu projeto para o mundo”, comentou.

Também participaram do encontro os realizadores dos curtas “Bloco do Isolamento”, “Prazer da Solidão”, “Utopia”, “Sonho de Verão”, “Áurea”, “Alê – Resistir pela Existência”, “As Novas Aventuras do Kaiser”, “Coleção Preciosa”, “Pedra do Caboclo”, “O Caminho das Águas” e “Dona Dona – A Mística do Boi”.

Após os debates com os responsáveis pelos curtas, o mediador e curador do festival Edu Fernandes conversou os diretores Marcos Pimentel, de “Ossos da Saudade”, e Luiz Antônio Pilar, de “Lima Barreto ao Terceiro Dia”.

Diretor, preto, e trazendo para o Cine PE um recorte da história de Lima Barreto, autor de “Triste Fim de Policarpo Quaresma”, uma voz que nasceu negra na literatura, Luiz Antônio comentou sobre a execução de seu filme. “Hoje o que importa é conteúdo, quem tem história pra contar e como contar. Os meus heróis são esquecidos. As nossas histórias, do povo preto, não foram contadas ainda. Eu vejo como uma obrigação minha que consegui ocupar esse lugar de fala tão amplo, contar as histórias dos negros, a nossa história”.

ESPECIAL
Ainda na sexta, fora das Mostras Competitivas, o Cine PE exibe o longa-metragem de suspense “Recife Assombrado”, de Adriano Portela. A projeção acontece às 14h, no Teatro do Parque. A entrada é gratuita.

ENTREGA DAS CALUNGAS
A 25ª edição do Cine PE entrega seus troféus, as tradicionais Calungas, na noite desta sexta-feira (26). Na ocasião, serão entregues também os prêmios dos vencedores da edição de 2020, que foi realizada virtualmente. A cerimônia acontece no Teatro do Parque, a partir das 19h.