Para o roteirista Marcílio Moraes, autores têm pouca liberdade atualmente

Durante coletiva no Hotel Transamérica, em Boa Viagem, na manhã deste sábado (1º), o roteirista Marcílio Moraes expôs a dificuldade que os roteiristas passam atualmente nas emissoras de TV: “Eu tenho um contrato ainda com a Record, mas é uma emissora muito religiosa, né? E eu não sou muito religioso. Enfim, os autores têm pouca liberdade hoje em dia”, desabafou. Marcílio, roteirista de clássicos da teledramaturgia brasileira como Roque Santeiro, Roda de Fogo e Mandala, está no Recife para o lançamento de seu primeiro filme, o thriller policial O Crime da Gávea. Exibido no CINE PE na noite da última sexta (30), o longa dirigido por André Warwar é inspirado no livro homônimo escrito pelo próprio Marcílio e lançado em 2003.

Sandra Bertini e Marcílio Moraes. Foto: Lana Pinho/Divulgação

No mesmo local, pouco antes da conversa com o roteirista, Sandra Bertini mediou um debate com os responsáveis pelos curtas exibidos no quarto dia de festival. Estavam presentes o Dr. Rildo Saraiva, que, aos 14 anos, foi protagonista do longa O Canto do Mar e agora, aos 80, é personagem do documentário O Menino do Canto do Mar, dirigido por Ulisses Andrade, também presente; o diretor de Peleja do Sertão, Fábio Miranda; e Day Rodrigues, diretora de Mulheres Negras: Projetos de Mundo.