Realidades poéticas nos filmes da terceira noite do 20º Cine PE

Com dois documentários e um longa de ficção, a terceira noite do 20º Cine PE, nesta quarta (4), no Cinema São Luiz, apostou em filmes que trazem um olhar poético sobre a realidade. “Das Águas Que Passam”, de Diego Zon, que participou do Festival de Berlim. A película mostra o cotidiano de pescadores, e a integração destes com o rio e o mar. “Pescadores sempre foram personagens que me cativaram”, contou Diego, que participou pela primeira vez da mostra. “É um festival histórico, que tem tradição, tem força”, disse. 

O curta, silencioso – na maior parte da narrativa o único som é o das ondas do mar – contrastou com os batuques intensos de 'Soberanos do Congo', de Raoni Moreno. O documentário tem como tema os maracatus, com destaque para sua relação com as religiões de matriz africana. Único filme ficcional do dia, “Guerra do Paraguay”, de Luiz Rosemberg Filho, conta a história de um soldado que encontra uma trupe de teatro, e une guerra e arte, violência e transformação através do pensamento, em uma linguagem próxima à do teatro.
 
Encantado com o Cinema São Luiz, Rosemberg disse: “Vivi alguns anos fora do Brasil, e nunca vi um cinema tão bonito quanto esse”. O cineasta, que gosta de fazer o que chama de “cinema do pensamento”, vê no Cine PE um espaço de resistência. “Ele abre o mercado e potencializa filmes que não são comerciais. É um festival potente, que tem o que dizer, que tem profundidade”, comentou. 

Nesta quinta (05), às 9h, será o encerramento da mostra infantil, para cerca de mil alunos da rede estadual de ensino. Será exibido “O Menino no Espelho”, de Guilherme Fiuza. A partir das 19h, serão projetados “A Vida em Uma Viagem”, de Tauana Uchôa; “O Último Engolervilha”, de Marão”; “O Coelho”, de Marcello Sampaio; e “As Aventuras do Pequeno Colombo”, de Rodrigo Gava. O festival acontece até o dia 8 de maio.